África do Sul tem 281 rinocerontes mortos por tráfico de chifres este ano

Parte do animal é vendida para a Ásia e chega a valer mais que ouro.
Área com maior número de casos é o Parque Kruger.

Do Globo Natureza, em São Paulo
Somente este ano, 281 rinocerontes foram mortos por caçadores na África do Sul, aponta um balanço publicado pelo governo do país nesta terça-feira (17).
Os criminosos cobiçam os chifres dos animais, usados como remédio para diversos tipos de doença na China e no Sudeste Asiático. O chifre é vendido por peso, e tem preço comparável ao do ouro. O número oficial da primeira metade de 2012 indica uma tendência de alta na matança de rinocerontes, já que em 2010 foram registradas 333 mortes, e em 2011, 448.
O número de prisões relacionadas a esse tipo de exploração também tem aumentado. Em 2012, até julho, 176 pessoas foram detidas, contra 232 em todo o ano passado, e 165 em 2010. A região com maior número de mortes de animais é o famoso Parque Kruger, no norte do país, onde aconteceram 164 dos 281 casos de mortes ilegais.
Rinoceronte morto por traficantes de chifres na África do Sul (Foto: Ilya Kachaev/REUTERS)Rinoceronte morto por traficantes de chifres na África do Sul (Foto: Ilya Kachaev/REUTERS)