Alto nível de cafeína é identificado em mar da costa dos EUA, diz pesquisa

Estudo encontrou concentração de substância no litoral do estado do Oregon.
Cafeína é normalmente achada em trechos de água doce, dizem cientistas.

Do Globo Natureza, em São Paulo

Café e outras substâncias poluem mar que banha o estado do Oregon, diz pesquisa (Foto: Governo do Oregon/Divulgação)Mar que banha o Oregon tem cafeína, diz pesquisa
(Foto: Oregon.gov/Divulgação)
Cientistas encontraram grande concentração de cafeína nas águas do Oceano Pacífico que banham o litoral do estado do Oregon, na região noroeste dos Estados Unidos.
A pesquisa, realizada pela Universidade de Portland, nos EUA, foi divulgada em julho no Boletim Marinho de Poluição, uma publicação internacional sobre o uso racional dos recursos marítimos.
O estudo avaliou tanto a presença da substância em áreas potencialmente poluídas, como os trechos de mar e rio próximos a redes de tratamento de esgoto, quanto em águas mais distantes do litoral.
Os níveis de cafeína em áreas potencialmente poluídas ficaram abaixo do limite detectável, de 9 nanogramas por litro. Já as águas do litoral do estado do Oregon tiveram 45 nanogramas por litro de cafeína, índice bem mais alto.

A hipótese mais provável é que nas áreas de tratamento de esgoto há monitoramento nos níveis de poluição, o que não ocorre nas águas do litoral, de acordo com os pesquisadores. Eles dizem, ainda, que a presença de cafeína já foi documentada antes em rios e fontes de água doce, mas há poucos indícios de sua presença no mar.
Pesquisadores dizem que a cafeína é apenas a ponta do iceberg de uma série de substâncias que podem estar contaminando trechos do litoral dos EUA ao serem eliminados na rede de esgoto, como remédios, detergentes, perfumes e outros.
Os efeitos desta "sopa de contaminação", afirmam os cientistas, ainda é desconhecido sobre os organismos aquáticos.