Cutia rouba sementes escondidas e ajuda palmeira a se reproduzir

Roedor tem o hábito de esconder alimento na terra, aponta estudo.
Bicho dispersa planta furtando comida estocada pelas companheiras.

Do Globo Natureza, em São Paulo
Um novo estudo publicado na última edição da revista "PNAS", da Academia Nacional de Ciências dos EUA mostra que o hábito da cutia de roubar sementes escondidas por suas companheiras pode ter ajudado uma palmeira a sobreviver na floresta tropical do Panamá.
Essa palmeira, conhecida localmente como “chunga”, tem frutos suculentos com sementes grandes, aparentemente adaptadas para serem comidas e dispersadas por animais de porte maior, como os mastodontes, extintos naquela região há 10 mil anos.
Foto mostra cutia comendo fruta da palmeira na floresta do Panamá. (Foto: Christian Ziegler/Divulgação)Cutia come a suculenta fruta da palmeira na floresta do Panamá. (Foto: Christian Ziegler/Divulgação)
Sem esses bichos grandes, capazes de engolir as sementes e defecá-las longe do local onde a ingeriram, seria de se esperar que a planta deixasse de se reproduzir e desaparecesse.
No entanto, como ela segue existindo, um grupo de cientistas da Europa e dos EUA instalou câmeras na floresta, e pequenos sensores nas sementes para entender como novas palmeiras poderiam crescer em lugares distantes de outros exemplares da mesma espécie.
Eles descobriram que as cutias têm o hábito de enterrar essas sementes e, mais que isso, roubá-las dos buracos cavados pelas companheiras. Eles descobriram que havia sementes que eram desenterradas e novamente escondidas até 36 vezes antes de serem realmente comidas. Assim, mais de um terço das sementes foi parar a mais de cem metros dos pés que as geraram.