Indústria de Cubatão planta árvores para homenagear os funcionários

Projeto foi proposto por um funcionário que levou a ideia para a direção.
Mais de 1000 árvores já foram plantadas pelo nascimento de crianças.

Mariane Rossi Do G1 Santos

Funcionário posa ao lado de muda que representa o nascimento de seu filho (Foto: Mariane Rossi/G1)Funcionário posa ao lado de muda que representa o nascimento de seu filho (Foto: Mariane Rossi/G1)
Em meio a fumaça, grandes turbinas, tanques e extensas áreas destinadas a produção de aço, um dos funcionários de uma usina em Cubatão, no litoral de São Paulo, mobilizou a empresa com mais de 4 mil empregados para, pelo menos uma vez ao ano, se dedicar a plantação de mudas dentro da usina. Para cada nascimento de um filho de um funcionário, uma árvore é plantada. Em cinco anos de projeto, já foram mais de mil mudas plantadas entre os prédios que abrigam a intensa produção industrial da Usiminas.
A ideia surgiu com Paulo Cezar Simoni, um dos funcionários ligados a área de laminação. Em sua infância, ele conta que adorava subir em árvores e brincar na rua. Depois de uma reflexão sobre a quantidade de árvores em Cubatão, ele passou a criar um costume na porta de casa. “"Quando acontece algo especial eu planto uma árvore. Minha mãe mora em uma esquina muito grande. Então, quando eu comprei uma casa, eu plantei uma árvore. Quando eu casei, eu plantei. No nascimento da minha filha, eu também plantei uma árvore”", explica.
Mais de 1000 mudas já foram plantadas em área da usina de Cubatão, SP (Foto: Mariane Rossi/G1)Mais de 1000 mudas já foram plantadas em área
da usina de Cubatão, SP (Foto: Mariane Rossi/G1)
Simoni acompanhou o desenvolvimento de cada planta, assim como o de sua filha que, atualmente, tem quase 17 anos. Depois de alguns anos, ele percebeu que a iniciativa poderia ser multiplicada e levou o seu projeto particular para uma das maiores empresas do Pólo Industrial de Cubatão. "Eu fiquei surpreso da forma que a empresa assimilou a ideia. Superou a minha expectativa. Se fosse em outro lugar eles poderiam lançar a ideia e depois cair no esquecimento. Mas já estamos em 1030 árvores plantadas. Então, para mim, é uma alegria muito grande", comemora.” Simoni acreditava que se as espécies fossem nativas da região da Mata Atlântica, predominante no litoral de São Paulo, contribuiria para o conhecimento dos funcionários e também para a fauna do lugar.
O projeto tomou forma e passou a se chamar ‘Plante uma Vida’. Em cada edição, é escolhido um local onde há o espaço ideal para a plantação das mudas daquele ano. Os pais que tiveram seus filhos nascidos depois desse dia entram na turma do ano seguinte. Cada planta recebe um número que corresponde ao nome da criança, colocado em um grande banner do lado do espaço. No dia da plantação, os funcionários ganham a pá que foi usada para o plantio e uma placa com o nome da criança.
Além das mudas, cada nome ganha um registro em uma placa (Foto: Mariane Rossi/G1)Além das mudas, cada nome ganha um registro
em uma placa (Foto: Mariane Rossi/G1)
Neste ano, a edição aconteceu no dia 6 de julho. Sidney Nascimento Lourenço conta que há dois anos prepara o local para o projeto, mas somente este ano teve a oportunidade de plantar sua muda pela primeira vez, após o nascimento de seu filho. "“A usina interage tanto com os funcionários quanto com o meio ambiente. Quando eu passo por aqui eu tenho dois prazeres, um pelo local e outro por saber como está a planta do meu filho. Eu tenho um carinho a mais por esse espaço”", diz ele. Já Helenildo de Brito, do setor de manutenção mecânica, também participou da ação, e conta que acompanha diariamente a árvore em homenagem a sua filha. "“Que ela venha produzir muitos frutos como as plantas aqui”", comenta.
Para dar andamento ao projeto, uma equipe fica responsável pela manutenção dos espaços e das árvores, já que várias delas dão frutos. Rafael Costa Nascimento, responsável pela área de meio ambiente, diz que prioriza áreas próximas aos berços de rios e que há critério na escolha das plantas. “"A gente sempre pega as plantas resistentes a alagamentos, acostumadas com a restinga ou com a mata atlântica, características da região",” explica.
Atualmente, a Usina conta com mais de um 1,5 milhão de metros quadrados de áreas verdes, uma média de mais de 96 metros quadrados de área verde por empregado. Para Simoni, que iniciou o projeto, a ação deu certo porque já existe consciência ambiental, o problema é que as pessoas não conseguem se dedicar a isso. “"Algumas vezes as pessoas não tem tempo para as coisas importantes da vida. O projeto faz com que você pare, plante, então, você acaba diretamente ou indiretamente passando isso pra uma pessoa mais adiante. Eu acredito que daqui a poucos anos vai haver a possibilidade de os filhos que nasceram, que foram os primeiros plantios, verem como tudo foi feito", finaliza.
Ideia surgiu com Paulo Cezar Simoni, funcionário da siderúrgica (Foto: Mariane Rossi/G1)Ideia surgiu com Paulo Cezar Simoni, funcionário da siderúrgica (Foto: Mariane Rossi/G1)